Oh meus caros leitores deste Blog, parece que já nos encontramos em contagem decrescente para uma das maiores festas anuais em família, a Páscoa, não é verdade?

Mas não nos podemos esquecer também, que o Estado de Emergência, anunciado a 19 de março, sofreu ontem uma renovação, incluindo-se algumas medidas ainda mais restritivas, “para que as pessoas percebam que não podem andar a circular de um lado para o outro“, tal como se pode ler aqui!

E muito curiosamente, parece que “até os coelhos de chocolate da Páscoa vão andar com máscaras de proteção” este ano, em que “uma chocolataria em Berna, na Suíça usou o tema da Covid-19 num dos mais recentes lançamentos“! Ora vejam aqui

Também temos aqui que, um “pasteleiro alemão cria bolos corona para tentar combater a crise“, ou acolá que, uma “padaria alemã faz sucesso em meio à pandemia com bolos no formato de papel higiênico“, enfim…

Por outro lado, no que diz respeito à Pandemia propriamente dita, há até já quem ache o seguinte aqui:

As medidas restritivas adotadas por diversos países para combater a disseminação do coronavírus Sars-Cov-2, causador da doença respiratória covid-19, podem ter de vigorar por 2 anos “em caso extremo”, disse nesta 3ª feira (17.mar.2020) Lothar Wieler, diretor do RHI (Instituto Robert Koch), responsável pela prevenção e controle de doenças na Alemanha.

Para Wieler, a pandemia do coronavírus pode durar “até 2 anos”, e, por isso, a situação precisa ser constantemente reavaliada. O diretor-geral do RKI também lembrou que pandemias costumam ocorrer em “ondas”, mas que não se sabe exatamente com que velocidade essas ondas se propagam. Por isso, poderá demorar anos até que as infecções atinjam o nível esperado de entre 60% e 70% da população.

E sendo eu também formada na área de Matemática, sublinho que o risco para a população irá variar sempre de região para região, porque, naturalmente, irá sempre depender de múltiplos factores, tais como a idade e o histórico clínico dos seus habitantes, ou o sistema de saúde e a geografia da própria região em causa, etc; logo, a doença em si, deverá também continuar a ser reavaliada a todo o instante, enquanto pelo menos não existir algum tipo de tratamento mais eficaz, como é o caso da vacina que anda e andará a ser estudada e testada por aí, vamos ver…

Portanto, vamos acreditar que vai ficar tudo bem, sendo que a Páscoa, tal como refere aqui, é “uma festividade religiosa (…) que celebra a ressurreição de Jesus ocorrida três dias depois da sua crucificação no Calvário, conforme o relato do Novo Testamento“, que “marca o ápice da Paixão de Cristo e é precedido pela Quaresma, um período de quarenta dias de jejum, orações e penitências“…

O mais importante será então dizer que, numa época como esta, nunca antes vista, tão marcada pelo «silêncio» e pelo «medo», aprendamos uma «nova» forma de nos relacionarmos com os outros e com o mundo, mesmo sendo só aquele que está em nosso redor, por agora…

De certeza que tudo nesta vida tem um propósito, pelo menos eu acredito nisso…

Porque simplesmente não há erros nem coincidências, ou seja, todos os acontecimentos são como que uma bênção com o intuito de aprendermos a dar sobretudo mais valor às causas mais nobres e ao mesmo tempo mais simples e inequívocas deste mundo…

O certo é que o Homem precisa urgentemente de começar a olhar para o mundo de outra maneira, porque se, por um lado, tal como se pode ler aqui, a “pandemia levou a redução drástica da poluição na China e em Itália“; por outro lado, tal como de pode ler acolá, “a queda das emissões poluentes provocada pela paralisação do planeta não vai resolver as alterações climáticas e até pode agravar o problema“…

E eu acrescento ainda o seguinte: uma vez que muitas fábricas estão paralisadas, ou muitos carros estão estacionados na garagem, bem como muitos aviões ou navios estão parados, até poderemos estar de facto a conseguir reduzir bastante o nível das emissões intituladas de poluentes, mas, a pandemia de COVID-19 poderá também vir a ter «pouco efeito», porque certamente todas as emissões de CO2 voltarão ao seu nível anterior, ou talvez até subir mais ainda

Vamos para a cozinha?

RECEITA DA CATEGORIA DE SOBREMESAS: Bolo de Pêra e Licor de Cerejas Caseiro

Ingredientes:

  • 500 gr de pêras
  • 120 gr de manteiga vegetal à temperatura ambiente
  • 120 gr de açúcar amarelo
  • 130 gr de farinha de espelta
  • 1 colher de chá de fermento
  • 3 ovos
  • 1 colher de chá de canela
  • 50 ml de Licor de Cerejas Caseiro (ver receita aqui)
  • 100 gr de noz

Confeção:

  1. Descascar e cortar as pêras em fatias finas;
  2. Bater a manteiga com o açúcar até ficar cremosa;
  3. Acrescentar os ovos um a um, para voltar a bater até que os ovos fiquem bem incorporados, acrescentando logo de seguida a canela e o Licor de Cerejas Caseiro;
  4. Deitar a farinha com o fermento, a pouco e pouco e previamente peneirada;
  5. Mexer tudo muito bem até a massa ficar homogénea;
  6. Numa forma, previamente barrada com manteiga e forrada com papel vegetal, deitar 1/2 da massa;
  7. Distribuir 1 camada das fatias finas de pêra reservadas anteriormente sobre a massa, para a seguir colocar o resto da massa e por fim outra camada das fatias finas de pêra reservadas;
  8. Espalhar a noz por cima, a gosto, grosseiramente picada;
  9. Levar a forma ao forno, a 180ºC, durante cerca de 40 minutos;
  10. Polvilhar o bolo com um pouco de açúcar amarelo e canela em pó no momento de servir.

(fonte: http://7bagas.com/receitas/bolo-de-pera-e-vinho-da-madeira?fbclid=IwAR27i7kGPWaY9DMLcOp8Nmr4F2lRizuDdKWw7ZD6RgmBUvEP7i5DKsQUj64)

1
(Visited 95 times, 1 visits today)

Leave A Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *