Inicialmente, o tomate era tido como venenoso pelos europeus e cultivado apenas para efeitos ornamentais, supostamente por causa de sua conexão com as mandrágoras, variedades de Solanáceas usadas em feitiçaria.

Os primeiros registos apontam para a sua chegada em Sevilha, na Espanha, no século XVI, que era um dos principais centros de irradiação comercial para toda a Europa, principalmente Itália e Países Baixos. Os italianos logo chamaram os primeiros frutos de pomo d’oro (pomo de ouro).

A indústria transformadora de tomate – mais desenvolvida nas zonas de regadio do Ribatejo – exporta para 42 países e Portugal é o quinto maior exportador mundial, num sector que é responsável por 6 500 postos de trabalho, diretos e indiretos.

E além de diferirem em seu formato, os tomates também podem ter variações na sua coloração. Apesar de ser bem mais comum encontrá-lo com a cor vermelha, atualmente, novos tipos de tomate podem ser encontrados com a cor rosada, amarela ou laranja. 

O consumo do tomate é recomendado pelos nutricionistas por ser um alimento rico em licopeno (média de 3,31 miligramas em cem gramas), vitaminas do complexo A e complexo B e minerais importantes, como o fósforo e o potássio, além de ácido fólico, cálcio e frutose. Quanto mais maduro, maior a concentração desses nutrientes.
O tomate é composto principalmente de água, possuindo, aproximadamente, catorze calorias em cem gramas, somente. Alguns estudos comprovam sua influência positiva no tratamento de câncer, pois o licopeno, pigmento que dá cor ao tomate, é considerado eficiente na prevenção do câncer de próstata e no fortalecimento do sistema imunológico.

A alfarrobeira (Ceratonia siliqua), também conhecida como Pão-de-João ou Pão-de-São-João, figueira-de-pitágoras e figueira-do-egipto, é uma árvore de folha perene, originária da região mediterrânica que atinge cerca de 10 a 20 m de altura, cujo fruto é a alfarroba.

Naturalmente doce, a alfarroba dispensa o uso de açúcar na fabricação de seus produtos, razão porque tem se tornado crescente e importante alternativa ao chocolate, pois além de não conter estimulantes como cafeína e teobromina, ela é rica em vitaminas e minerais. Contém altos níveis de carboidratos (75.92%), (6.34% proteínas) e baixo nível de gordura saturada (1.99%).

Do fruto da alfarrobeira tudo pode ser aproveitado, embora a sua excelência esteja ainda ligada à semente, donde é extraída a goma, constituída por hidratos de carbono complexos (galactomananos), que têm uma elevada qualidade como espessante, estabilizante, emulsionante e múltiplas utilizações na indústria alimentar, farmacêutica, têxtil e cosmética.

Mas a semente representa apenas 10% da vagem e o que resta – a polpa – tem sido essencialmente utilizado na alimentação animal quando, devido ao seu sabor e características químicas e dietéticas, bem pode ser mais aplicado em apetecíveis e saborosas preparações culinárias.

A farinha de alfarroba é a fracção obtida pela trituração e posterior torrefação da polpa da vagem. Contém, em média, 48-56% de açúcar (essencialmente sacarose, glucose, frutose e manose), 18% de fibra (celulose e hemicelulose), 0,2-0,6% de gordura, 4,5% de proteína e elevado teor de cálcio (352 mg/100 g) e de fósforo. 

Por outro lado, as características particulares dos seus taninos (compostos polifenólicos) levam a que a farinha de alfarroba seja muitas vezes utilizada como antidiarreico, principalmente em crianças.

RECEITA NA CATEGORIA DE SNACKS:

Pão de Alfarroba com Nozes e Tâmaras, servido com Doce de Tomate
Ingredientes: 
Doce de Tomate:
  • 1kg de tomate
  • 800gr de açúcar amarelo
  • 1 pau de canela
  • 1 casca de limão
  • Sal q. b.
Pão de Alfarroba com Nozes e Tâmaras:
  • 150g de farinha de trigo
  • 150g de farinha de aveia
  • 50g de farinha de alfarroba
  • 1 colher de sopa de farinha de milho
  • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • 1 colher de chá de canela
  • 1/2 colher de chá de sal
  • 50gr de açúcar mascavado
  • 1 iogurte natural
  • 1 chávena de leite
  • raspa de 1 limão
  • 100g de nozes
  • 100g de tâmaras sem caroço
Confeção: 
Doce de Tomate:
Começar por tirar a pele ao tomate: aquecer uma panela com bastante água a ferver e mergulhar os tomates lavados por uns 2 minutos, para depois retirar tudo para uma tigela cheia de água bem fria com gelo, deixando repousar alguns minutos antes de retirar a pele.
  1. Deitar tudo numa panela com o açúcar, o pau de canela e a casca de limão, colocando-a primeiro em lume brando para cozinhar até começar a ferver, para depois começar a mexer à medida que se vai apurando o preparado.
  2. Entretanto, retirar a casca de limão e o pau de canela, para em seguida adicionar o sal e triturar tudo a gosto com a ajuda de uma varinha mágica.
  3. Levar novamente o doce ao lume e deixa cozinhar até atingir o ponto de estrada.
  4. Depois do doce arrefecer, guardá-lo numa embalagem hermética ou então em frascos devidamente esterilizados.
Pão de Alfarroba com Nozes e Tâmaras:
  1. Colocar o forno a aquecer a 170º, aproveitando depois para forrar com papel vegetal uma forma de bolo inglês.
  2. Numa taça, misturar as farinhas, o sal, o bicarbonato, o açúcar mascavado e a canela.
  3. Numa outra taça, misturar o iogurte, o leite e a raspa de limão.
  4. Aos poucos, adicionar esta mistura à taça com a mistura das farinhas e envolver tudo muito bem. 
  5. Juntar as tâmaras e as nozes, previamente tudo picado grosseiramente, e envolver tudo muito bem.
  6. Colocar a massa na forma, distribuindo no topo algumas nozes previamente guardadas, e levar ao forno durante cerca de 45min.
  7. Desenformar e deixar arrefecer antes de fatiar, sendo só depois necessário barrar com o doce de tomate explicado anteriormente ao seu gosto e deliciar-se!
0
(Visited 56 times, 1 visits today)

Leave A Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *