Por acaso sabiam que “com os caroços das cerejas fazem-se almofadas com poder terapêutico para aliviar stress, ansiedade, cólicas, insónias ou dores musculares“? Por favor leiam o artigo completo que eu encontrei aqui. E até encontrei aqui um modo de fazer essas mesmas almofadas de caroços de cerejas passo-a-passo!

Já agora, fiquem também a saber, que o chá de pés de cereja pode ainda ser um bom suplemento diário, podendo ler aqui como o preparar. Ou seja, por alguma razão, “cerejeira, originária do sudoeste da Ásia, é uma das árvores mais adoradas no Japão por causa da sua beleza e efemeridade”, existindo até “festivais dedicados inteiramente a esta árvore e pessoas que viajam de muitos lugares para as ver florescer”. O que acham?

Por último, mas não menos importante, de acordo com o site wikipédia, as cerejas são um tipo de fruto bastante nutritivo, contendo proteínas, cálcio, ferro e até vitaminas A, B, e C, que quando consumidas ao natural, ainda têm propriedades refrescantes, diuréticas e laxativas, para além de conterem altas concentrações de antocianina, sendo consideradas como que um anti-inflamatório natural, logo são capazes de prevenir inflamações e de acalmar as dores no corpo.

Por tudo isto, e como até nos encontramos na época das cerejas, vamos então aprender a fazer uma receita francesa, a dos clafoutis, que ainda de acordo com o site wikipédia, temos que:

Clafoutis é um doce da culinária da França, que consiste numa fruta, originalmente cerejas inteiras, cozida no forno, num creme de farinha, ovos, leite e açúcar. A receita indica que as cerejas devem ser marinadas por 2 horas com açúcar e Kirsch (licor de cerejas alemão). Entretanto, faz-se uma mistura de farinha, uma pitada de sal, ovos, açúcar, baunilha e raspa de limão; junta-se leite, nata, manteiga derretida e as cerejas, e deita-se num prato que possa ir ao forno e à mesa, untado de manteiga e polvilhado de açúcar; coze em forno quente 30-40 minutos e serve-se morno.”

Mas esta receita pode ser feita com qualquer outro tipo de fruta, bem como com alimentos salgados, sendo que, neste caso, não lhe deve ser adicionado açúcar, para além de ficar a chamar-se antes de flaugnarde.

Para finalizar, acrescente-se, agora, uma certa curiosidade acerca do próprio nome da receita que eu descobri aqui:

O nome clafoutis deriva de l’occitan clafotís, do verbo clafir, que significa “encher” (a massa com cerejas). De origem incerta, aparentemente a receita surgiu e se espalhou por toda a França durante o século IX.

RECEITA NA CATEGORIA DE SOBREMESAS: Clafoutis de Cereja

Ingredientes:

  • 500 g de cerejas
  • aguardente, manteiga e açúcar amarelo q. b.
  • 100 g de farinha
  • 1 colher de chá de fermento
  • 5 ovos
  • 500 ml de leite

Confeção:

  1. Tirar os caroços às cerejas, para depois as deixar a marinar no frigorífico com um pouco de aguardente e algumas colheres de açúcar amarelo, durante cerca de duas horas.
  2. Passar as cerejas descaroçadas da marinada anterior para uma tarteira, espalhando-as, que entretanto foi untada de manteiga e polvilhada com açúcar amarelo, levando tudo ao forno, a 180ºC, durante cerca de 10 minutos.
  3. Bater a mistura de todos os restantes ingredientes até criar uma pasta homogénea, de forma a vertê-la em seguida sob as cerejas.
  4. Voltar a colocar a mistura no forno até a consistência da massa ser semelhante à de um pudim, devendo-se estar com atenção a partir dos 30 minutos com recurso ao teste do palito.
  5. Espalhar açúcar em pó por cima e servir ainda morno.

(fonte: https://rfm.sapo.pt/content/4979/chef-kiko-resolve-no-cafe-da-manha)

0
(Visited 130 times, 1 visits today)

Leave A Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *