SAL-GEMA, O QUE É?

Em primeiro lugar, o produto Sal-gema é o cloreto de sódio acompanhado de cloreto de potássio e de cloreto de magnésio que está alojado em jazidas na superfície terrestre, pertencendo ao grupo das rochas sedimentares.

Em segundo lugar, este termo aplica-se ao sal obtido da precipitação química pela evaporação da água de antigas bacias marinhas em ambientes sedimentares. Para isso, o mesmo é extraído pelo método de lavra por solução e pelo método de lavra subterrânea convencional. E os únicos locais de extração de sal-gema em Portugal localizados em Loulé e Rio Maior, tornaram-se num vestígio da presença do mar em épocas remotas.

AS SALINAS DE RIO MAIOR

sal

No que diz respeito às Salinas de Rio Maior, temos que estas situam-se a cerca de 3 km do centro da cidade de Rio Maior, encaixadas num vale no sopé da Serra dos Candeeiros, em pleno Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros. Classificadas como Imóvel de Interesse Público desde dezembro de 1997, são portanto as únicas que se encontram em pleno funcionamento na Europa. E ainda que a primeira referência à sua existência seja de 1177, pensa-se que o aproveitamento do sal-gema já seria feito desde a Pré-história!

Uma mina de sal-gema, extensa e profunda, segundo os técnicos, atravessada por uma corrente subterrânea que alimenta um poço, faz com que a água dele extraída seja sete vezes mais salgada que a do mar. Da sua exposição ao sol e ao vento e consequente evaporação da água obtêm-se o sal, depositado no fundo dos talhos, o qual depois é colocado em montes, em forma de pirâmides, para secar até ser recolhido.

UM POUCO DE HISTÓRIA

E segundo o que se sabe, o poço atual foi aberto devido ao acaso: uma rapariga que apascentava uns animais, para mitigar a sede, tentou beber numa poça de água que aflorava num juncal; o sabor fortemente salgado foi-lhe extremamente desagradável e comentou isso ao chegar a casa; seu pai e vizinhos apressaram-se a ir cavar em tal sítio de onde surgiu o poço atual, tendo secado depois o primitivo.

As típicas tabernas eram montadas nalgumas das casas de madeira e funcionavam apenas durante a “safra”: com o trabalho duro da marinha, em noites frias e húmidas, os homens sentiam necessidade de ingerir doses avultadas de álcool, sendo por isso frequente passar-se pela taberna; o taberneiro montava a sua escrita em tábuas de madeira com cerca de 1,5 m por 10 a 15 cm, descrevendo a conta de um freguês; na régua era escrita, com sinais convencionais, a despesa que o cliente ia fazendo ao longo da safra e os pagamentos que ia efetuando. Desta forma: se, por um lado, o cliente sabia sempre quanto devia e os outros ficavam a saber se ele era ou não um bom bebedor, por outro lado, o taberneiro ia recebendo as suas contas mais facilmente, cujo pagamento era sempre feito em sal.

O COMÉRCIO DO SAL

sal

Acrescente-se que, antigamente, o sal era uma substância importante no comércio entre os povos como moeda de troca, sendo utilizado como pagamento de jornas, daí a proveniência da palavra salário. E para além de ser apreciado como condimento desde as civilizações mais antigas, começou também a ser usado como produto essencial para a conservação dos alimentos, já que eram desconhecidos os atuais métodos de refrigeração, bem como na preparação de peles e conservação de couros.

Por tudo isto, o domínio do comércio do sal foi sempre uma preocupação primordial dos mais poderosos e influentes, controlando o que era enviado, com outros produtos, para o Mediterrâneo e daí para Oriente, pelos Árabes, ou então para o norte da Europa, pelos Cristãos, através das Ordens religiosas.

Portanto, o mar, os rios e as vias romanas, eram os elos de ligação entre os povos. E sendo Rio Maior navegável até parte do seu percurso, era natural que fosse utilizado para comunicação com o Tejo, porta de saída principal para o comércio externo, no qual se incluiria o sal pela sua extrema qualidade.

23 UTILIDADES DO SAL

SAL

Em conclusão, todos nós sabemos que o sal é um dos temperos mais tradicionais na culinária! Mas sabia que, os seus benefícios para a saúde estão relacionados com o iodo? E olhe que este composto é essencial para as hormonas da tiróide intimamente ligadas à produção de energia do nosso corpo.

Além disso, o sódio presente no sal, quando combinado com o potássio, ajuda a manter o ritmo cardíaco normal. Portanto, o tempero é só uma das múltiplas utilidades do mesmo, podendo, assim, ser utilizado para facilitar a nossa vida noutras áreas.

Neste sentido, tive o cuidado de selecionar, para si, uma série de utilidades, que de certeza vão ajudá-lo no seu dia a dia!

A LISTA

  1. eliminar os cheiros a alho, cebola ou peixe das mãos: utilizar uma mistura de sal com vinagre e lavar as mãos;
  2. remover os cheiros de comida nos recipientes plásticos: colocar uma colher de sal dentro dos potes e deixar atuar de um dia para outro;
  3. retirar odores dos pés no calçado: colocar um pouco de sal dentro do calçado;
  4. remover as manchas brancas que ficam nos móveis: passar uma mistura do sal com óleo vegetal sobre a mancha, em proporções iguais, deixando atuar 1 a 2 horas antes de esfregar;
  5. limpar o forno: borrifar uma mistura de água, sal e canela no forno, ainda quente, e deixar arrefecer, para remover tudo com uma esponja;
  6. evitar que as frutas, como a maçã e a pêra descascadas, fiquem escuras: aplicar nelas água com sal;
  7. ajudar a manter as panelas limpas e brilhantes: misturar um pouco de sal à água e esfregar com um pano;
  8. alargar a vida útil do queijo dentro do frigorífico:sal

    derramar um pouco de sal sobre ele;

  9. aliviar a dor de garganta ou ajudar a tratar as aftas na boca: gargarejar água quente com um pouco de sal de cozinha;
  10. aumentar a durabilidade de uma escova de dentes: mergulhá-la em água com sal antes de utilizá-la pela primeira vez;
  11. diminuir as chamas ou apagar o fogo durante os churrascos: aplicar sal para controlar as chamas;
  12. aumentar a vida útil das velas: antes de as usar, deixá-las durante algumas horas numa solução com água e sal, secando-as bem;
  13. deixar o frigorífico limpo e com um cheiro agradável: utilizar água gaseificada com sal na sua limpeza;
  14. evitar o mau cheiro e os entupimentos com restos de comida, nos canos da cozinha: despejar água quente com sal no ralo da pia;
  15. limpar utensílios de bronze e cobre: aplicar uma mistura com farinha, sal e vinagre sobre os objetos e deixar atuar 1 hora antes de limpar;
  16. remover a gordura da frigideira

    sal

    aplicar um pouco de sal e remover a sujidade com um pano húmido ou uma batata;

  17. realçar as cores dos tapetes de fibra ou das cortinas: colocar sal na água para lavar as peças;
  18. afastar formigas de certas zonas da casa: borrifar sal nos rodapés, cantos ou armários, afastando-as da área em questão;
  19. remover manchas de suor das roupas: usar uma mistura de 4 colheres de sopa de sal para 1 litro de água;
  20. retirar o cheiro a mofopassar uma mistura de sumo de limão, água quente e sal, por cima do local, deixar atuar e limpar;
  21. desinfetar as esponjas: mergulhá-las numa mistura de água morna e 2 colheres de sal, deixar atuar algumas horas e lavar, retirandor o excesso de água;
  22. ajudar a refrescar as bebidas: num recipiente, colocar camadas de gelo e sal intercaladas junto com as bebidas até à hora de servir;
  23. aliviar o ardor e a comichão de uma picada de inseto: passar, por cima do local, com água gelada salgada ou sal misturado com azeite.

NOTA IMPORTANTE

Para ter acesso gratuito ao artigo sobre as Salinas de Rio Maior, na Revista Digital “P´ra Mesa” Nº13, no caso de não ser ainda Subscritor deste Blog, clique aqui para saber como recebê-la diretamente e de forma gratuita no seu email!

 

(fonte: https://pt.wikipedia.org,

https://www.turismoriomaior.pt,

https://guiadacozinha.com.br/)

1
(Visited 90 times, 1 visits today)

Leave A Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *