Pescetarianismo, ou piscitarianismo, é um regime alimentar que inclui peixes e frutos do mar, mas exclui a carne de outros animais. Uma dieta pescetariana é uma dieta que inclui hortaliças, frutos, nozes, cereais e leguminosas, ovos e laticínios, mas diferentemente de uma dieta vegetariana, peixes, e algumas vezes frutos do mar.

Um dos motivos mais citados para a adoção desta dieta é o desejo de manter uma boa saúde, baseado nos resultados encontrados que carne vermelha é prejudicial à saúde em muitos casos devido a carnes não magras conter altas quantidades de gordura saturada.

Por outro lado existe a preocupação com consumo de grandes quantidades de certas variedades de peixe devido a conterem toxinas como mercúrio e bifenilpoliclorados (PCB), apesar de ser possível selecionar peixes com pouco ou nenhum mercúrio e moderar o consumo de peixes que o contém.

Cada vez mais aparecem tendências alimentares diferenciadas, ora baseadas em modas ou crenças religiosas, ora a ver com certas questões de saúde ou ainda com a aparência física de cada um!

Entre elas, descobri eu, outro dia, enquanto fazia uma certa pesquisa pela Internet, existe o… pescetarianismo! E, curiosamente, este tipo de dieta alimentar pode estar intimamente ligado ao vegetarianismo, uma vez que grande parte dos alimentos são de origem vegetal, porém estão também incluídos produtos de origem marítima, os ovos, os laticínios e o mel.

Na verdade, todos nós sabemos que o peixe é a melhor forma de obter ácidos gordos ómega-3, sendo, por exemplo, o salmão selvagem e as sardinhas, alguns dos mais benéficos.

E, se grande parte dos vegetarianos acha que come bastante proteína, só porque se incluem alimentos como grãos integrais, feijões, legumes e sementes, pelo que também investiguei, estas podem ser antes fontes incompletas, para além de que seus constituintes também podem não ser totalmente digeríveis uma vez ingeridos, podendo dar origem a uma insuficiente absorção de nutrientes, respostas imunes ou até algum tipo de problema intestinal.

Ou seja: uma dieta rica em proteínas pode ser difícil de conseguir se for apenas do tipo vegetal, enquanto que os peixes, crustáceos e moluscos são uma ótima fonte de proteína magra; consequentemente, o próprio sistema imunológico pode vir a beneficiar, somando-se o facto de ainda ajudar no combate à inflamação, no que diz respeito, por exemplo, ao cancro.

Acrescente-se ainda que a escolha do peixe na nossa alimentação pode vir a ter um custo maior do que outro tipo de opções, mas tudo depende do tipo de espécie ou qualidade de peixe é que estamos a falar, já que os preços praticados dependem muito de onde se compra, época do ano e se se compra fresco ou congelado e se é de mar ou aquicultura.

Para finalizar, segundo certos profissionais na área da saúde e nutrição, devem-se comer cerca de duas porções de peixe por semana, para a saúde do nosso coração; contudo não devemos optar por ingerir exageradas quantidades de produtos de origem marítima, mas sim optar por assumir um tipo de dieta alimentar o mais variada possível, de forma a colmatar algum tipo de constituintes no nosso organismo para o seu bom funcionamento.

Por tudo isto, cá em casa existe uma certa preocupação em incluir pratos de peixe na nossa alimentação, tendo sido a perca, desta vez, a minha escolha para uma receita no meu blog:

“Perca é a denominação de qualquer espécie do género-tipo dos percídeos, como, por exemplo, a Perca fluviatilis, que é considerada a verdadeira perca. A perca é um conjunto de diferentes espécies de peixes nativos de água doce do mundo inteiro. A perca do Nilo, Lates niloticus, é um dos maiores peixes de água doce, mas, por viver no Lago Nasser, não é certo que tenha habitado o Nilo antigo. É possível reconhecer alguns peixes que os antigos egípcios pescavam, como a tilápia e o peixe-tigre.”

RECEITA NA CATEGORIA DE PRATO PRINCIPAL DE PEIXE: Arroz de Perca

Ingredientes:
500 g de perca (*)
– 2 Cebolas
– 2 dentes de Alho
– 2 tomates
– 1 dl de Azeite
– 1 dl de Vinho Branco
– 6 medidas de água para 2 medidas de arroz carolino
– 2 colheres de sopa de polpa de tomate
– sal q.b.
– pimenta q.b.
– sumo de limão q.b.
– salsa ou coentros q.b.
Confeção:

1) Cortar o peixe em cubos e temperá-los com sal, pimenta e sumo de limão e reservar;

2) Picar as cebolas, os alhos e o tomate, este limpo de pele e sementes, para depois refogar tudo no azeite, assim como o peixe;

3) Verter o vinho branco e a polpa de tomate ao refogado, deixando ainda cozinhar por mais alguns minutos antes de juntar a água;

4) Adicionar o arroz e envolver, deixando em lume brando até cozinhar o arroz;

5) Retificar os temperos, se necessário, e servir de seguida com a salsa ou os coentros picados.

(*) Encontra este produto à venda na loja Lota no Bairro, em Odivelas com 5% de desconto, bastando dizer que vai da parte do blogue Cozinha Com Rosto! 

(fontes: www.cozinharsemstress.pt/cozinhar/receitas/arroz-de-perca/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Perca_(peixe)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pescetarianismo,

https://www.pescanova.pt/nutricao/pescetarianismo

http://www.nutricaointegrativa.com/o-que-e-um-pescetariano-e-o-que-o-comem/)

0
(Visited 60 times, 1 visits today)

Leave A Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *