De acordo com o site da Direção-Geral da Saúde, temos que:

Cerca de 80% da população não pratica atividade física suficiente para cumprir as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). (…) Entre as crianças com 10-11 anos, 64% são pouco ativas fisicamente. O valor da inatividade física sobe abruptamente para mais de 95% em jovens com 16-17 anos.

A atividade física reduz as taxas de mortalidade por todas as causas, doença coronária, a hipertensão, trombose (AVC), síndrome metabólico, diabetes tipo II, cancro da mama e colorretal, depressão e quedas. Há, ainda, evidência forte para um efeito na aptidão cardiorespiratória e muscular, no peso e composição corporal, na saúde óssea, na funcionalidade e autonomia física, e na função cognitiva.

Desta forma podemos então concluir que a atividade física é muito importante para a manutenção da saúde em geral, apresentando, desde logo, um efeito protetor ao nível cardiovascular, para além de apresentar diversos efeitos benéficos ao nível dos sistemas nervoso, respiratório e músculo-esquelético.

Em resumo: a atividade física reduz o stress, promove o bem-estar e ainda aumenta as defesas do nosso organismo!

Por outro lado, para de facto termos o devido acesso a todos estes benefícios, a prática de atividade física necessita, sem dúvida alguma, de uma alimentação verdadeiramente adequada a cada organismo, caso contrário, tudo será em vão!

Ou seja: cada um de nós precisa optar por uma alimentação que forneça os nutrientes certos no momento certo, de forma a dar origem à energia ideal para que o nosso corpo consiga desempenhar capazmente todos os esforços físicos, tanto para recuperar, bem como para se adaptar após a sua realização, permitindo, assim, manter as condições ideias de saúde perante qual tipo de situação intitulada de “stress físico”.

E os batidos proteicos podem ter múltiplos benefícios, nomeadamente a ver com a reposição de energia após uma determinada atividade física mais ou menos desgastante ou stressante.

Neste sentido, os batidos proteicos são ideais para quem faz exercício físico moderado, em que, antes do treino, irão fornecer a dose de proteína e hidratos de carbono necessária para levar a cabo todo o treino, enquanto que no final do treino, irão fornecer proteína e hidratos de carbono úteis à reposição do glicogénio muscular e restabelecimento das fibras musculares.

Convém ainda sublinhar que, este tipo de preparados, até certo ponto podem substituir uma determinada refeição, tal como podem verificar mais abaixo a respeito da receita que vos trago hoje, sendo até bastante simples de os conceber.

Já agora, de acordo com o site da Vida Ativa, deixo-vos agora algumas dicas úteis aquando da respetiva confeção dos referidos batidos:

Por exemplo, se preferir o batido mais diluído aumente a quantidade de líquido (água ou de leite, por exemplo), mas – se por outro lado – prefere o batido mais espesso pode acrescentar gelo ou fruta congelada.

Deve ter particular atenção se usar ovos crus nos batidos, devido ao risco de salmonelose. O ideal é que opte sempre por cozinhar os ovos ou usar ovos pasteurizados.

Como a ideia é não ganhar peso (ou mesmo perder) deve optar sempre por leite, iogurte ou queijo magro. E claro, troque o açúcar pela fruta, caso queira adoçar o seu batido.

Para transportar o seu batido deve usar shaker.

Para terminar esta minha introdução relativa à receita Milk-shake de Banana, Amêndoa, Chocolate e Sementes de Sésamo:

O batido de leite (…) é uma bebida à base de leite e algum outro alimento, normalmente fruta e/ou sorvete (…) e daí o surgimento do nome, originário do inglês milk (leite) e shake (batido).

Quando a palavra milk-shake foi usada pela primeira vez na imprensa, em 1885, os milk-shakes eram uma bebida alcoólica com whisky. Entretanto, por volta de 1900, o termo passou a ser usado para se referir a uma bebida batida feita de xarope de chocolate, morango ou baunilha. No início da década de 1900, as pessoas começaram a pedir pela nova bebida, frequentemente acompanhada de sorvete. Nos anos 1930, os milk-shakes se tornaram muito populares nas malt shops, típicos pontos de encontro de estudantes na época.

Entretanto, por curiosidade, também encontrei a seguinte informação no mesmo site da Wikipédia:

Milkshaking é o ato de jogar milkshakes e outras bebidas em alvos como meio de protesto político de uma forma semelhante à egging ou pieing . O alvo de um milk-shake é borrifado ou respingado com um milk-shake que é jogado de um copo ou garrafa. A tendência ganhou popularidade no Reino Unido maio 2019 durante a eleição do Parlamento Europeu e foi usado contra a extrema-direita e de extrema-direita candidatos políticos, tais como Tommy Robinson , Nigel Farage e Carl Benjamin, bem como outros membros do Partido da Independência do Reino Unido (UKIP) e do Partido Brexit.

RECEITAS NA CATEGORIA DE SNACKS: Milk-shake de Banana, Amêndoa, Chocolate e Sementes de Sésamo

Ingredientes:

  • 200 ml de leite;
  • 1 colher de chá de sementes de sésamo;
  • 20 g de amêndoas;
  • 1 banana;
  • 20 g de chocolate;

Modo de preparação:

  1. Colocar todos os ingredientes num liquificador e triturar tudo muito bem até se conseguir uma mistura homogénea.

(fontes: https://pt.wikipedia.org/wiki/Milk-shake,

https://en.wikipedia.org/wiki/Milkshaking,

http://www.fpcardiologia.pt/alimentacao-antes-e-apos-atividade-fisica/,

https://nit.pt/fit/alimentacao-saudavel/4-batidos-ideais-beber-do-treino-sem-suplementos/attachment/146330,

https://www.vidaativa.pt/a/batidos-proteicos-receitas/,

https://www.dgs.pt/programa-nacional-para-a-promocao-da-atvidade-fisica/perguntas-e-respostas.aspx)

0
(Visited 69 times, 1 visits today)

Leave A Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *