Ontem foi um dia dedicado à ida a um evento muito marcante em Lisboa: o Mercado de Vinhos no Campo Pequeno!

Pois bem, este mesmo evento, tendo contado já com a sua sexta edição entre os dias 20 e 22 de outubro, serve de referência no panorama vitivinícola nacional, tendo reunido, desta vez, mais de uma centena de produtores portugueses, com o objetivo maior de divulgar produtos nacionais exclusivos, de excelentíssima qualidade e a preços mais competitivos!
Também houve lugar à descoberta de produtos «novos», mas de alguma forma ligados à autêntica cultura do vinho, como forma de conseguir maior visibilidade e interesse entre os visitantes. 
E, na minha opinião, claro que foi uma aposta ganha, sobretudo para as pequenas produções nacionais, visando ao mesmo tempo recriar a ideia de um mercado antigo, para além de ainda existir a oportunidade de se provarem determinados produtos antes de se decidir por alguma compra, possibilitando aumentar cada negócio em causa de uma forma mais sólida!

Segundo Vasco Cornélio, diretor de Eventos e Espetáculos do Campo Pequeno, «A adesão espectacular que o Mercado de Vinhos teve este ano, e que excedeu completamente as nossas expectativas, só pode significar que o percurso que temos feito para proporcionar aos pequenos produtores um espaço de visibilidade, e aos visitantes um espaço de descoberta, está a cumprir em pleno com o seu objetivo».

Acrescente-se ainda que ocorrera uma competição nacional, o Concurso de Vinhos do Crédito Agrícola, por sua vez realizada em parceria com a Associação de Escanções de Portugal, em que todos os produtores e cooperativas das várias regiões vitivinícolas do país poderiam participar.

E, já agora, sabia que a história do próprio recinto desta feira, a designada Praça de Touros do Campo Pequeno, chega a confundir-se com a da própria cidade de Lisboa? Por acaso sabia que estamos no ano em que se comemoram 125 anos da sua existência?
 
Ela mesma está atualmente classificada administrativamente como sendo de 1ª Categoria, ou seja, é considerada como sendo a primeira Praça de Toiros de Portugal

O recinto está assim indicado para corridas de touros, concertos musicais, feiras, exposições, entre outras situações, tendo uma capacidade de cerca de 10000 pessoas, sendo 6848 lugares sentados. O seu calendário tauromático decorre essencialmente durante as estações da primavera e do verão.

Todavia, também tem sido palco para inúmeros comícios ao longo dos tempos, tornando-se, segundo uma notícia publicada no site Notícias ao Minuto e avançada por Lusa no passado dia 17 de agosto deste ano, num “barómetro para implantação dos partidos políticos“, sendo estas as palavras de Paulo Pereira, relações públicas da praça de Lisboa, que segue a festa brava há mais de duas décadas, primeiro enquanto jornalista e desde 2006 como funcionário do espaço. 

Em modo conclusivo, preparem-se portanto para o que aí vem ainda este ano, no que diz respeito a outro tipo de comemorações e/ou a outros momentos especiais intimamente ligados à sua alargada agenda de iniciativas, sugerindo estarem atentos ao seguinte link direto:

E no que diz respeito à 2.ª Parte  deste mesmo texto, espero voltar muito em breve com uma descrição mais ou menos pormenorizada de alguns dos muitos projetos presentes no intitulado Mercado dos Vinhos deste ano, sendo a prova real de que se sabe bem e é português, valerá a pena apostar para tentar fazer melhor, porque no fim dar-se-à de certeza um brinde! 
0
(Visited 18 times, 1 visits today)

Leave A Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *