O termo camarão (do latim cammārus, caranguejo do mar, camarão, derivado do grego kámmaros, ou kámmoros) é a designação comum a diversos crustáceos da ordem dos decápodes, podendo ser marinhos ou de água doce.

Existem várias outras espécies de crustáceos aquáticos que têm no seu nome a palavra camarão, mas pertencem a grupos diferentes, tais como os camarões-de-concha (ordem Conchostraca) e os camarões-girinos (ordem Notostraca).

Os camarões comerciais são também conhecidos por outros nomes, tais como gamba ou lagostim (os de grandes dimensões, como o “camarão-tigre-gigante”, Penaeus monodon, que pode atingir cerca de 35 cm de comprimento e um peso de cerca de 1 k – que são as dimensões médias dos verdadeiros lagostins).

Carcinicultura, é como é chamada a criação do camarão em sistemas aquícolas.

Em resumo, sendo ambos crustáceos com presença assídua na gastronomia, o camarão e a gamba têm as suas diferenças: o camarão é de menor porte, enquanto que a gamba remete para variedades maiores, sendo na origem das duas palavras que estas espécies mais diferem, já que uma vem do grego e a outra do italiano.

Acrescente-se ainda que a receita original do caril de gambas tem sotaque português, uma vez que este prato é típico da culinária de Moçambique e da gastronomia Indo-portuguesa de Goa, Damão e Diu, que já pertenceu ao Estado Português da Índia!

E tal como o nome sugere, trata-se de um prato preparado com camarão, apresentando um molho espesso de tonalidade amarela. Entre outros ingredientes, pode incluir coco ralado, açafrão, cominhos, coentros, malagueta, cebola, alho, tamarindo, vinagre, açúcar e sal.

Também é normalmente acompanhado por arroz branco.

Mais especificamente, o caril (português europeu, português angolano, português moçambicano e português de Goa) ou curry (português brasileiro) é uma mistura de especiarias muito utilizada na culinária de países como Índia, Tailândia e alguns outros países asiáticos.

E um dos condimentos usados tradicionalmente na Índia em vários pratos é a folha da Murraya koenigii ou “árvore-do-caril”.

O “pó-de-caril” é feito à base de pó de açafrão-da-terra, cardamomo, coentro, gengibre, cominho, casca de noz-moscada, cravinho, pimenta e canela. Para além destes ingredientes básicos, outros são incluídos, de acordo com as preferências: alforva, pimenta-de-caiena, cominhos finos, noz-moscada, pimenta-da-jamaica, pimentão e alecrim, entre outros. Existem caris que chegam a levar setenta plantas diferentes. Inicialmente, o caril servia para temperar exclusivamente o arroz, mas actualmente é usado para a confecção de inúmeras receitas, como o frango de caril e outras.

A introdução da palavra “caril” na língua portuguesa remonta a 1563, conforme o seu primeiro registo escrito. É possível que a palavra tenha entrado na língua portuguesa através da sua forma canaresa karil, até hoje utilizada em Goa. Segundo outras fontes, a palavra seria proveniente do concani-marata kanddhí e, por sinédoque, teria passado a designar ensopados de vegetais ou de carnes, com especiarias. Na Índia, o caril é considerado como um tipo de massala.

Já a palavra curry que é mais usada no Brasil foi incorporada à língua inglesa em 1598, proveniente do tâmil e do malaio kari (கறி), que significa “molho“.

As comunidades nipónicas também empregam a forma “carê“.

RECEITA NA CATEGORIA DE PRATO PRINCIPAL DE PEIXE: Caril de Gambas

Ingredientes:

  • 150 gr de gambas (*)
  • 200 ml de leite de coco
  • 1 cebola pequena picada
  • 1 colher de sopa de caril
  • Sal, azeite, pimenta  e sumo de limão q.b.
  • 1 alho picado
  • 1 colher de sopa de gengibre em pó
  • 1 colher de chá de açafrão
  • 2 colheres de sopa de concentrado de tomate
  • Coentros picados ou salsa picada q.b.

Confeção:

  1. Misturar muito bem, num recipiente, o caril, o açafrão, o gengibre ralado e um pouco do sumo de limão, até formar uma pasta, e reservar.
  2. Num outro recipiente, introduzir as gambas descongeladas, para depois temperar com um pouco de sal e sumo de limão a gosto e reservar.
  3. Num tacho, deitar um fio de azeite e fazer um refogado com a cebola picada, para a seguir colocar o alho picado e deixar alourar; adicionar o concentrado de tomate, envolver tudo muito bem e deixar ferver.
  4. Depois deve-se acrescentar o leite de coco e deixar cozinhar em lume brando, durante alguns minutos.
  5. Retificar os temperos do molho, deixando-o reduzir um pouco.
  6. Entretanto, adicionar as gambas reservadas e deixar cozinhar até começarem a mudar de cor.
  7. Servir o caril de imediato com coentros picados ou salsa picada a gosto e acompanhado de arroz branco.

(*) Encontra este produto à venda na loja Lota no Bairro, em Odivelas com 5% de desconto, bastando dizer que vai da parte do blogue Cozinha Com Rosto! 

fontes: https://saboresdaminhacozinha.blogs.sapo.pt/caril-de-camarao-com-coentros-lima-85103,

https://www.e-konomista.pt/artigo/caril-de-gambas/,

https://pt.wikipedia.org/wiki/Caril_de_camar%C3%A3o,

https://pt.wikipedia.org/wiki/Camar%C3%A3o

http://ensina.rtp.pt/

0
(Visited 308 times, 1 visits today)

Leave A Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *